abr 04

COMO ESTARIAM CARRIE E AS AMIGAS AOS 50 ANOS? A Resposta chega em forma de série

Ainda há sexo na cidade? Nós apostamos que sim!

Candace Bushnell fez a vontade aos fãs de Sexo e a Cidade e escreveu uma sequencia do livro que deu origem à série de TV. A história dá um salto no tempo e agora retrata mulheres que têm 50/60 anos. A nova história retrata a forma como as mulheres desta idade lidam com a vida, numa altura em que se sentem mais seguras de si e estão mais maduras.

O livro saí apenas em agosto mas a Paramount Television e a Anonymius Content já anunciaram que adquiriram os direitos para produzir uma série televisiva baseada nesta sequela imperdível. O livro chama-se Ainda há sexo na cidade? (nós apostamos que há, bem como os cosmopolitans), e passa-se em Upper East Side e Mahattan. Os dramas, que gostaríamos que continuassem a ser discutidos à mesa de um brunch, mas desta vez os temas devem ser os filhos adultos, as  noite escaldantes patrocinada pelo Tinder, a luta para manter a boa forma física, as viagens e os divórcios.

Carrie, Samantha, Miranda e Charlotte, versão 2.0

Ainda não é certo quando irá para o ar, nem quem fará parte do elenco, sendo quase certo que as atrizes originais não irão participar neste nova aventura. A principal razão não é a briga entre Sarah Jessica Parker e Kim Cattrall, mas sim o facto dasérie não ter como personagens principais Carrie, Samantha, Miranda e Charlotte, mas sim novas personagens – que esperamos que sejam tão divertidas como estas. Resta saber quem as irá interpretar e se nos vamos conseguir descolar das originais. A tarefa não será fácil, mas prometemos que vamos tentar.

Não existem ainda grandes detalhes, mas uma coisa é certa: o guarda-roupa terá de voltar a ser uma das preocupações da produção, como aconteceu nos filmes e nos episódios que vemos e revemos sem nunca nos cansar. Ah claro, e o sentido de humor também não pode faltar. Como serem Carrie, Samantha, Miranda e Charlotte aos 50 anos?! Muito melhores que aos trinta! Pelo menos é esta a nossa esperança, e apesar da série não responder taxativamente à pergunta, podemos ficar com uma ideia.