Maio 29

CONFIRA TODOS OS DETALHES QUE POUCOS PERCEBERAM OU SABEM DO CASAMENTO DE HARRY E MEGHAN

Tributos a Diana, as lagrimas do noivo, homenagem da Rainha, as joias da noiva, o bolo. Que fim teve o bouquet e afinal  a noiva usou algo azul e  emprestado?

 

Um casamento tem sempre protocolo. Quando se fala de um casamento real, as regras são ainda mais marcadas e o espaço para o improviso reduzido ao mínimo. Mas Harry e Meghan mostraram, durante toda a cerimónia que teve lugar na Capela de St.George, em Windsor, uma emoção e uma felicidade que vão muito além do que é o convencional e o protocolar

Numa cerimónia que contou com momentos inesperados, como o coro de gospel e o discurso efusivo durante a homilia, os noivos mostraram-se visivelmente emocionados e partilharam olhares e gestos cúmplices, sendo um dos momentos altos aquele em que Harry descobre o rosto de Meghan

Tributos a Diana

No casamento do príncipe Harry e de Meghan Markle , os 600 convidados dos noivos encheram a capela de St. George, em Windsor. Ainda assim, um dos lugares de maior destaque encontrava-se vazio. Essa foi uma homenagem que o agora duque de Sussex fez à mãe, a princesa Diana, que morreu no dia 31 de agosto de 1997.

O lugar vazio era o que se encontrava ao lado do príncipe William o filho mais velho de Diana, irmão e padrinho do noivo. Um tributo simples e discreto.

Houve um detalhe no bouquet de noiva de Meghan que foi na verdade um tributo à mãe do noivo, Diana. No arranjo floral encontram-se miosótis, que eram as flores favoritas da princesa de Gales, juntamente com raminhos apanhados por Harry no jardim particular no Palácio de Kensington.

No ramo também havia astilbe, uma flor que significa, simbolicamente, “eu vou estar à tua espera”, lírios-do-vale, que simbolizam ternura e o regresso da felicidade, além de serem a flor tradicional do mês de maio.

No bouquet não foi esquecido o raminho obrigatório de murta, uma tradição que remonta ao reinado da rainha Victoria e seguida pela duquesa de Cambridge, pela princesa de Gales e pela rainha nos seus casamentos.

Por fim, o bouquet de Meghan continha astrantia, que significava força, coragem e protecção.
A emoção de Harry
No decorrer da cerimónia de casamento, na Capela de St. George, Harry e Meghan eram um casal emocionado. Principalmente Harry teve dificuldade em esconder que estava comovido no grande dia. A determinada altura, o príncipe foi ‘apanhado’ pelas câmaras naquele que parece ter sido um momento em que teve dificuldade em conter as lágrimas.
Homenagem da Rainha

De braços abertos, foi assim que Elizabeth II recebeu Meghan Markle na família real. Tudo resumido em um dos acessórios usados pela soberana

A rainha decidiu completar o seu visual, em tons verde pistache e roxo, com um broche de simbolismo especial. Poucos sabem, mas o acessório, repleto de diamantes, pertence à tiara que Meghan usou na cerimónia, emprestada por ela. Ao usar a peça destacável, Isabel II demonstrou o carinho e ligação que sente por Meghan.

.
As joias da noiva

A tradição foi cumprida no casamento de Harry e de Meghan. Tal como Kate, a noiva de Harry usou uma peça com elevado valor histórico no dia em que disse o ‘sim’.

A tiara que adornou a cabeça da noiva, em diamantes, foi emprestada a Meghan por ElizabethII. Pertencia originalmente à rainha Mary, mulher de George V, e avó da atual rainha, e foi feita em 1932, no Reino Unido. A pedra central data de 1893, tendo sido dada a Mary pelo Condado de Lincoln, por ocasião do seu casamento. Em 1953, Elizabeth II recebeu as duas peças como presente da avó.

Já os brincos e o bracelete usados por Meghan são da Cartier.

 

O bolo

 Com cobertura branca e adornado com peónias e verdura, o doce foi confecionado por Claire Ptak e contém ingredientes especiais.

“O bolo de casamento será servido na receção. Foi feito por Claire Ptak e tem xarope de flor de sabugueiro, confecionado na residência da rainha em Sandringham a partir das próprias árvores de sabugueiro da propriedade, assim como um bolo leve feito exclusivamente para o casal”, lê-se em comunicado da casa real.

 

Quem pegou o bouquet?

Apesar de o momento em que a noiva atira o bouquet de flores ser um dos mais aguardados em qualquer casamento, Meghan Markle não seguiu esta tradição.

Em vez disso, decidiu, como fazem várias noivas reais e enviá-lo para o túmulo do Soldado Desconhecido, na Abadia de Westminster. A tradição começou com a rainha-mãe, Elizabeth, em 1923, quando se casou com George VI. O seu intuito era o de homenagear o irmão que havia morrido durante a Primeira Guerra Mundial. Em Westminster, mantém-se o túmulo que homenageia aqueles que perderam as vidas desde o conflito, e é para lá que são enviadas as flores.

Tal como Meghan, também Elizabeth II, a princesa Diana e Kate deram o mesmo destino aos seus bouquets de noiva.

Velho, novo, emprestado e azul

Diz a tradição “algo velho, algo novo, algo emprestado, algo azul“, que dita aquilo que uma noiva deve usar no casamento, parecia não ter sido cumprido à risca pela noiva, já que não se viu nada azul em qualquer detalhe do seu look. Porém, o mistério foi agora desvendado.

Para completar o segundo vestido que usou no dia 19 de maio, a ex-atriz escolheu uns sapatos Aquazzura discretos, feitos à sua medida, cuja sola – não admira que ninguém tivesse reparado – apresentava um tom azul claro. A peça principal, o vestido da autoria de Stella McCartney, em seda branca, que deixava ver a excelente forma física em que se encontra, foi um dos “algo novo“, já que o primeiro havia sido o vestido com que disse o “sim” a Harry.

Para o “algo velho“, Meghan escolheu os brincos Cartier. A tiara de diamantes da rainha Mary foi o “algo emprestado“, neste caso, por Elizabeth II.